terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Castelo feudal: residência de um pequeno “rei” local

Les Milandes, França
Les Milandes, França
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Na Idade Média, o rei era a personificação do Estado, a pessoa mais alta de toda a sociedade feudal.

Mas quando comparamos o rei da França com, por exemplo, o duque da Normandia ou com o duque da Bretanha, vemos nesses duques uma miniatura do rei.

Eles são, em âmbito menor, tudo aquilo que o rei é em âmbito maior.

E se considerarmos um nobre de categoria inferior, ele é uma miniatura do duque da Normandia.

E por esse processo, de miniatura em miniatura, chegamos até o último grau da hierarquia feudal.

No que consiste propriamente este laço feudal?

O rei de França, por exemplo, desmembrava seu reino em feudos, e dava a cada senhor feudal uma parcela do poder real de que ele era detentor.


Veja vídeo
Altaneiros castelos
da Bretanha

CLIQUE PARA VER
O imperador Carlos Magno precisava defender as fronteiras da Cristandade das invasões muçulmanas na fronteira com a Espanha pelo Oeste, e dos saxões e outros povos pagãos na atual Alemanha pelo Leste; além dos problemas com os nórdicos pagãos, das revoluções dos lombardos e das invasões maometanas na Itália pelo Sul.

Ele não podia estar em todo lugar ao mesmo tempo.

Então criou “marcas” – ou outras denominações equivalentes – que eram territórios sob o comando de um “marquês” com força militar para resistir.

Crupet, Bélgica
Crupet, Bélgica
Outras vezes, o feudo nasceu como uma realidade determinada pelas circunstâncias.

O senhor feudal de Lourdes era um muçulmano invasor. Não tinha jeito de tirá-lo de lá.

Afinal, ele se converteu, pôs seu território sob a proteção de Nossa Senhora, e Carlos Magno o reconheceu como senhor feudal de Lourdes.

Com essas concessões reais, o senhor feudal não era apenas uma miniatura do rei, mas participante do poder real.

Ele tinha, portanto, parte no poder real.

Ele era, por assim dizer, uma extensão do rei.

É miniatura no sentido de que é uma parcela, e não apenas porque possua tamanho menor e se lhe pareça.

Essa ligação que o senhor feudal tem com o rei faz dele uma espécie de desdobramento do próprio rei.

E os castelos dos nobres, naturalmente, fazem lembrar o castelo do rei, e viceversa.




GLÓRIA CRUZADAS CATEDRAIS ORAÇÕES HEROIS CONTOS CIDADE SIMBOLOS Voltar a 'Glória da Idade MédiaAS CRUZADASCATEDRAIS MEDIEVAISORAÇÕES E MILAGRES MEDIEVAISHERÓIS MEDIEVAISCONTOS E LENDAS DA ERA MEDIEVALA CIDADE MEDIEVALJOIAS E SIMBOLOS MEDIEVAIS

8 comentários:

  1. Excelente explicação.... cada vez gosto mais deste blogue...

    ResponderExcluir
  2. e castelos portugueses, arranjam?

    ResponderExcluir
  3. ainda existem castelos desses atualmente? aonde?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na Europa há milhares deles. Procuramos por sempre a localização geográfica ao pé da foto. Sempre é algo aproximada pois costumam ficar entre florestas, fazendas e jardins.
      Os castelos reais, maiores, na sua maioria podem ser visitados e ficam em cidades.

      Excluir
  4. eu tenho que fazer um trabalho com uma maquete gente?

    ResponderExcluir
  5. preciso de um nome de um castelo medieval da suíça

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ver, por exemplo, o castelo de Chillon, junto ao lago Léman: http://castelosmedievais.blogspot.com.br/2013/01/castelo-feudal-residencia-de-um-pequeno.html

      Excluir
  6. VCS tem alguma pagina sobre o castelo de chillon? aqui no Blog sobre Castelos Medievais

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.