terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Chinon: ruínas veneráveis impregnadas de altivez católica

Chinon, sala do encontro de Carlos VII com Santa Joana d'Arc, castelos medievais
Chinon é o castelo memorável onde Santa Joana d'Arc foi encontrar o Delfim da França, então em plena derrota e devorado por dúvidas interiores.

Naquele castelo, a Santa lhe disse da parte de Deus que era o Rei da França. Por este fato as pedras que restam merecem ser osculadas.

Chinon está em ruínas. Continuam de pé as muralhas e três torres. O resto está arrasado.

A própria sala onde Santa Joana d'Arc encontrou o Delfim, e onde se passou a cena impressionante dela se ajoelhar diante dele para dizer da parte de Deus que ele era filho legítimo do rei de França, portanto, era ele o legítimo rei de França, foi demolida por ordem expressa de Richelieu, um Cardeal-bispo de política absolutista.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Ruínas de um castelo da Espanha

Ruínas do castelo de Turégano, Segovia, Espanha
Ruínas do castelo de Turégano, Segovia, Espanha

É uma ruína.

Mas que força maravilhosa tem essa ruína que, em vez de dar pena, ela sugere a idéia da grandeza que ela não tem mais!

Ela faz reviver um passado tão bonito que a gente se pergunta, às vezes, se esse passado que a gente imagina a propósito dela não é mais bonito do que ele realmente foi.

Exprimindo melhor: se ele não faz imaginar um passado mais bonito do que foi realmente.

É o próprio das coisas grandiosas quando elas caem.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Vila Nova do Ourém – Portugal: O perfume da realidade primitiva, boa, reta e cheia de vida

Para quem experimenta encanto na análise do linguajar das nações, Vila Nova do Ourém é um nome delicioso! Delicioso no quê?

Talvez um português, nascido em Portugal, não sinta isso tão bem quanto um descendente de português, nascido do lado de cá do Atlântico.

O castelo remonta aos tempos do fundador de Portugal Dom Afonso Henriques e dos templários.
Segundo documento de 1180 o lugar se chamava em latim Auren.