terça-feira, 10 de julho de 2012

Altaneiro, solitário, heroico, o castelo escocês despreza o figurino do “politicamente correto”

Castelo de Druart, Escócia
Castelo de Duart, Escócia
Os castelos escoceses criam ambiente propício às novelas, as quais gostam de figurar fantasmas que aparecem na noite, no frio e na solidão de uma pétrea fortaleza semi-destruída.

Alguns castelos sugerem que outrora neles se deram fatos reprováveis, cujos maus efeitos ainda projetam eflúvios ruins e misteriosos no presente.

De fato, eventos ruins aconteceram na história do Reino da Escócia.

Outrora integramente católica, num triste momento a Escócia caiu sob a pata do protestantismo mais deprimente e radical: o presbiterianismo.


Castelo de Drumlanrig
O resultado da queda foi uma guerra civil religiosa entre os sectários presbiterianos e os católicos.

Esgotado pelo conflito religioso, o país foi dominado finalmente pelos ingleses. Esses, entretanto, se encontravam tomados por uma forma de protestantismo menos radical: o anglicanismo.

Desde então os escoceses protestam muitíssimo indignados. Mas não encontram jeito de se libertar para voltarem a ser aquilo que a Escócia prometia no início de sua história.

Heróis não faltaram na Escócia e o país os venera. Seus regimentos com roupas exclusivas dos clãs ficaram famosos no mundo inteiro.

Castelo de Eilean Donan: cenário ideal para dramas históricos
Castelo de Eilean Donan: cenário ideal para dramas históricos
O castelo escocês reflete uma concepção dramática da existência que o torna cenário ideal para um drama de Shakespeare, por exemplo.

Dali vêm também as lendas de fantasmas e monstros no estilo do século XIX.

O castelo de Eilean Donan é outro dos que gozam de maior fama neste singular sentido.

Ele também foi construído sobre uma pequena ilha, no braço de mar de Loch Duich, nas Terras Altas escocesas (Highlands).

Apenas uma ponte o liga à terra firme.

Ele foi construído no início do século XIII, como defesa contra os vikings, que invadiam e depredavam territórios cristãos.

O castelo deve seu nome a São Donan de Eigg, mártir celta da Alta Idade Média.

Ainda no século XIII tornou-se uma fortaleza do clã Mackenzie de Kintail (posteriormente condes de Seaforth).

Castelo de Eilean Donan: recusa da banalidade
Castelo de Eilean Donan: recusa da banalidade
Em 1511 o clã Macrae herdou o castelo, considerando-o seu lar e ocupando-o até hoje. A ilha tem uma população de apenas uma pessoa!

Em 1719 o castelo foi ocupado por tropas espanholas que apoiavam uma revolta de escoceses saudosistas dos reis católicos Stuart.

Três fragatas da real marinha inglesa o recapturaram e demoliram pouco depois.

Mas ele foi restaurado entre 1919 e 1932 por membros do Clã Macrae.

Altaneiro, solitário, ostentando galhardamente sua alteridade e seu passado, ele despreza o banal figurino do “politicamente correto” comumente aceito.



GLÓRIA CRUZADAS CATEDRAIS ORAÇÕES HEROIS CONTOS CIDADE SIMBOLOS Voltar a 'Glória da Idade MédiaAS CRUZADASCATEDRAIS MEDIEVAISORAÇÕES E MILAGRES MEDIEVAISHERÓIS MEDIEVAISCONTOS E LENDAS DA ERA MEDIEVALA CIDADE MEDIEVALJOIAS E SIMBOLOS MEDIEVAIS

3 comentários:

  1. Que lindo *-* Meu sonho é um dia conhecer lugares antigos e remotos como esse...
    Parabéns pelo Blog, me encantei *-*
    Cheguei até ele enquanto procura informações sobre uma foto linda que eu encontrei no Facebook, mas como era uma página árabe, não consegui descobrir que lugar é aquele na foto. Se trata de ruínas, que aparentemente são de um castelo, localizadas em um vale. Eu poderia mandar a foto pra você!? Talvez saiba onde é...

    ResponderExcluir
  2. Se gostarem de ver castelos, é fantástico.Eu me inscrevi e recebo sempre informações.

    ResponderExcluir
  3. Ver estas lindas paisagens de Castelo e ler um pouco de suas historias não é mais nem menos a recordação de leituras da História Antiga!

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.